Os 876 melhores vinhos portugueses

Caríssimos,

A grande maioria de nós não tem como aceder aos melhores vinhos portugueses e muitos dos que acedem não os guardam até ao momento certo,  fundamentalmente porque nos tempos que correm praticamente todos os vinhos de patamar qualitativo acima da média se vendem novos, custa muito comprar uma caixa para ir percebendo qual o momento certo, garrafa após garrafa.

Aos grandes críticos, os vinhos são dados a provar, oferecidos, o acesso aos melhores vinhos é assim directo, “fácil”, em nome do jornalismo da especialidade… Mais ainda, são oferecidos no momento certo, são vinhos acima da média oferecidos no seu pico de forma.

Arrisco dizer que, na grande maioria das vezes, esta preparação é feita por alguém que não estes criticos, alguém que guarda estas garrafas até ser o momento certo de as enviar à análise. Assim também fica um pouco fácil, não?

Os 10 melhores vinhos portugueses para Sarah Ahmed, para Jancis Robinson, para Mark Squires, para Robert Parker, etc, etc

Estes são os 10 vinhos portugueses mais marcantes, escolhidos em 2017 segundo a opinião de Jancis Robinson:

artigo: http://www.revistadevinhos.pt/noticias/jancis-robinson-revelou-vinhos-mais-marcantes-de-portugal

Estes são os 10 vinhos portugueses mais marcantes, escolhidos em 2018 segundo a opinião de Sarah Ahmed:

artigo: http://www.revistadevinhos.pt/eventos/19o-encontro-com-vinhos-e-sabores

Se repararem, nem um único vinho nestas duas listas é repetido. No passado já falei sobre fenómeno parecido no texto: Top30 da Revista de Vinhos vs Top30 da Vinho Grandes Escolhas

Claro que estes críticos sabem o que escolhem, claro que sabem ler vinhos. Também não sabemos se todos eles têm acesso aos mesmos vinhos para depois terminarem com escolhas dos 10 melhores, nas quais existam vinhos comuns.

Aquilo que parece ser certo no meio destas listas e do consequente inundar noticioso duvidoso é que, quantos mais críticos escolhermos para nos dizerem quais os melhores vinhos portugueses, mais aumentamos a lista final daquilo que são as melhores escolhas. Se, por cada crítico internacional, tivermos 10 vinhos diferentes, ou mesmo que sejam oito vinhos diferentes e dois comuns a cada lista… Imaginem como fica a lista final. Ficaria com centenas.

Alguns dos melhores vinhos portugueses segunda a imprensa nacional, não são os melhores para os críticos estrangeiros

Sarah Ahmed escolheu o Quinta dos Carvalhais Branco Especial como um dos 10 melhores vinhos portugueses provados em 2018. Jancis Robinson nem o referiu sequer, embora em 2017 este vinho já existisse, e não será pela evolução dele de 2017 para 2018 porque um branco com este nível único de estágio não altera significativamente de 2017 para 2018.

Vejamos o que dizem duas revistas portuguesas sobre este vinho:

A Revista de Vinhos dá ao Quinta dos Carvalhais Branco Especial 18 pontos, colocando-o no lugar 14 de uma lista de 114 vinhos provados sob o tema: Brancos Topo de Gama.

A Revista Grandes Escolhas dá ao Quinta dos Carvalhais Branco Especial 17 pontos, colocando-o no lugar 12 de uma lista de 46 vinhos provados sob o tema: Encruzados do Dão.

Isto que verificamos com o Quinta dos Carvalhais não é caso único, o mesmo se passa com o Poeira Tinto, onde vemos saltos opinativos entre críticos e revistas, tal como sucede com o Druida Encruzado, etc, etc.

Uma coisa que todos sabem e uma coisa que poucos sabem

Uma vez, num programa televisivo da manhã, britânico, foi referido por uma crítica gastronómica inglesa que o tinto Porta 6 ia lindamente com carne vermelha, penso eu que foi assim… Acho que o vinho esgotou nesse dia e o site do produtor crachou com a procura. Será que isto foi devido ao facto deste tinto ser um dos melhores vinhos portugueses? Ou será que a publicidade, casual provavelmente, foi feita no sítio certo?

Outra história engraçada. Uma das críticas acima mencionadas foi colocada frente a frente com um vinho muito específico da região norte de Portugal. Depois de o provar, ela disse: “Este é o pior vinho que bebi na minha vida”. No dia seguinte, levaram-na a comer um dos pratos mais característicos e fortes dessa região, acompanhado com vinho dessa região, no final ela disse: “Este vinho casa muito bem com esta comida”. O vinho era o mesmo do dia anterior. Mas acho que não lho disseram com vergonha alheia.

A conclusão possível disto tudo é que cada um escolhe os seus melhores 10 vinhos com base no seu gosto, experiências pessoais e bagagem profissional. No final, o que faz a diferença entre listas não são os vinhos mas sim a notoriedade do crítico na praça pública e claro, a força com que essa lista é publicitada, o marketing… A influência invisível.


Saúde,
Dr. Ribeiro

Créditos da foto de capa: essenciadovinho.com
Categorias: Artigos de Opinião

Prova

Posts Relacionados