Casa de Saima, Baga, Vinhas Velhas, Grande Reserva Tinto | 2014 vs 2015

Tenho uma série de “Bagas” ainda por abrir até final do ano e depois do susto com o Casa de Saima Garrafeira 2015, queria abrir estes dois Grande Reserva o quanto antes.

Em relação ao 2014, a oxidação já levou este tinto para um ponto sem retorno e o cheiro a vinagrinho afasta do copo qualquer nariz minimamente atento e exigente.

O 2015 está bebível, mas está uma sombra daquilo que este vinho me mostrou há uns anos atrás, qualquer tentativa de encontrar um aspecto positivo neste vinho é uma desconsideração para com aquilo que ele já me mostrou nessa prova. A fruta vermelha, a frescura, o conjunto leve, aberto, cheio e muito polido… Não vi nada disso nesta prova, vi sim um conjunto muito terciário e cansado.

Nem todos podem envelhecer bem… Mas sete e oito anos não deveriam representar um envelhecimento difícil para um Baga Grande Reserva.

Mais uma lição apreendida da pior forma.

Hoje não correu nada bem. Nada, nada bem.


Saúde,
Dr. Ribeiro

Categorias: Pólvoras, Vinho Tinto

Prova

Posts Relacionados