Dory, Branco 2015

Há algum tempo, numa visita à Adega Mãe, este vinho ficou-me “atravessado”, fiquei colado a ele porque sabia o que custava e eu estava a sentir muito para aquilo que era o seu preço. Não o esqueci e fui procurá-lo logo a seguir.

Abri uma garrafa pouco depois dessa visita e deixei outra de lado, para testes. Abri-a hoje.

É um branco de 2015, de 4€, guardado até hoje com intenção de ver o que alguns vinhos deste patamar de preços podem fazer.

Conclusão, parece que existem brancos neste patamar de preços que podem perfeitamente começar a ser vistos de outra forma, só é preciso arriscar, testar e conhecer, ver quais são os que se destinguem neste tipo de exigência do tempo e esperar que as colheitas seguintes não sofram mudanças… É que são sobretudo os vinhos destas gamas de preços que mais facilmente oscilam no nível qualitativo.

Este branco mostrou merecer esta espera de quase 5 anos e o que fiz com este quero tentar fazer com muitos mais. Se o mundo fosse perfeito, teríamos todos uma cave bem abastecida de brancos assim, deste nível e deste preço. É mais do que suficiente, porque este hoje foi mais do que bom.

O aroma fez esta “mini” espera valer tudo e assim sendo, quero esperar mais vezes, esperar por outras colheitas deste vinho porque infelizemente desta de 2015 já não tenho mais.

É sempre díficil dizer isto mas, talvez o tenha aberto na altura certa, talvez… Talvez fosse arriscado deixá-lo andar mais tempo, claro que ele iria buscar mais pormenores mas iria também perder uma ou outra qualidade e, esse balanço entre o que se pode ganhar e o que se pode perder com o tempo que damos a um vinho, é que me leva a dizer que fico contente por ter aberto este branco agora, com quase 5 anos, de 4€.

Um reforço apenas para aquilo que foi a sua performance aromática, basicamente mete no bolso vinhos de outros preços… Fácil. Quero muito voltar a sentir isto.

Aroma muito cativante, rico, com harmonia e com conjugação incrível de tons, ameixa amarela madura, tons petrolados, tons melados, alguma salinidade, erva húmida. Corpo a precisar de alguma temperatura, portou-se muito bem nos 14ºC, boa estrutura, ampla e com bom centro de boca, algo curto na persistência, a ponta de língua acusa alguma doçura, textura fluida, boa presença em boca com a temperatura a ajudar, peca apenas por essa mostra de doçura. Boa Acidez, final médio, a ganhar nervo e temperamento com a temperatura.


Castas: Viosinho, Alvarinho, Arinto e Viognier

Ficha Técnica 2015: indisponível

Vinhos Adega Mãe: https://adegamae.pt/


Saúde,
Dr. Ribeiro

Prova

  • 7.8/10
    Aroma - 7.75/10
  • 6.8/10
    Corpo - 6.75/10
  • 7/10
    Acidez, Taninos, Final - 7/10
  • 7/10
    Análise Geral - 7/10
7.1/10

Suporte para avaliação

10 – Magnífico
9 – Excelente
8 – Muito Bom
7 – Acima da Média
6 – Bom
5 – Razoável
4 – Aceitável
3 – Básico

Sending
User Review
0/10 (0 votes)

Posts Relacionados